domingo, 8 de abril de 2012

Como identificar os silicones?



Silicones e óleo mineral são ingredientes muito comuns em produtos cosméticos. Eles tem por objetivo selar a hidratação, retendo água na pele ou nos cabelos por mais tempo. Além disso, facilitam o ato de pentear os cabelos por diminuírem o atrito entre os fios, dificultando a formação de nós e embaraços. Ainda assim, há quem prefira evitá-los, porque podem se acumular com o tempo, causando mais problemas do que benefícios.

Sabemos que ambos, em geral, não são solúveis em água. Logo, para retirá-los dos fios, é necessário que se faça uso de algum tipo de xampu. Enquanto o óleo mineral só consegue ser lavado dos fios com xampu, com os silicones, isso pode variar: alguns são mais aderentes e podem deixar o cabelo muito “pesado” devido ao acúmulo dessa substância, necessitando de xampus mais frequentes ou mais detergentes; outros possuem uma estrutura química que os torna mais “leves”, demorando mais tempo para causar os efeitos negativos do acúmulo nos fios.

O óleo mineral é bem fácil de identificar: nas composições impressas em inglês nos rótulos dos produtos, costuma vir sob os nomes de Liquid Paraffin, Paraffinum Liquidum, Mineral Oil ou Petrolatum. Já os silicones são mais complexos: podem vir com muitos nomes e ter diferentes propriedades. Então, como identificar os silicones nas fórmulas dos produtos? Como saber quais são proibidos ou mais seguros para quem pratica No ou Low Poo?


Regrinhas básicas
É bom saber que os ingredientes que são silicones costumam ter seus nomes terminados com o sufixo -col, -cone ou -conol. Alguns também terminam -xane. Existem silicones que são solúveis em água, outros levemente solúveis em água e finalmente aqueles que não podem ser diluídos em água em nenhuma hipótese. Os dois últimos, portanto, requerem o uso de xampu com certa regularidade. Veja a lista abaixo para mais detalhes:

Cetearyl Methicone, Cetyl Dimethicone, Dimethicone, Dimethiconol, Stearyl Dimethicone
Silicones mais “pesados” que realmente causam acúmulo se não forem devidamente retirados com xampu. Proibidos para quem segue uma rotina de No Poo e não recomendados aos que seguem a rotina de Low Poo.

Amodimethicone, Cyclomethicone, Cyclopentasiloxane, Trimethylsilylamodimethicone
Silicones que tendem a gerar menos acúmulo nos fios. Ainda que alguns praticantes de No Poo os utilizem, são mais seguros àqueles que ainda usam xampu de tempos em tempos. 

Behenoxy Dimethicone, Stearoxy Dimethicone, Dimethicone Copolyol, Hydrolyzed Wheat Protein Hydroxypropyl Polysiloxane, Lauryl methicone copolyol
Silicones que, de alguma maneira, são solúveis em água. Ainda assim, são evitados por quem opta pelo No Poo, a despeito do baixo risco de se acumularem nos fios. Os dois primeiros, em grandes quantidades, não conseguem ser retirados apenas com água ou co-wash, requerendo o uso de xampu.

  DICA!     A abreviação “PEG” ou “PPG” na frente do nome sinaliza que o silicone em questão foi feito para ser solúvel em água e não irá produzir o acúmulo que os silicones comuns causam!



A polêmica do Amodimethicone
Pesquisando sobre silicones e sua solubilidade em água, você pode encontrar alguns artigos que dizem que o Amodimethicone, quando acompanhado de Trideceth-12 e Cetrimonium
Chloride na fórmula do produto, torna-se solúvel em água e, portanto, liberado para No Poo.

O que acontece é que estes dois ingredientes tornam o Amodimethicone dispersível em água e apenas quando está dentro do frasco. Uma vez aplicado nos fios, ele se torna tão insolúvel quanto qualquer outro silicone. Logo, se você é praticante de No Poo e não usa xampu algum, não use produtos com Amodimethicone, mesmo quando este vier acompanhado do Tricedeth-12 e do Cetrimonium Chloride.

Os tensoativos menos agressivos, como o Cocamidopropyl Betaine, também são capazes de retirar o silicone dos fios, mas de forma menos efetiva do que os sulfatos, especialmente o lauryl ou laureth sulfate. Então, se você é praticante de Low Poo e usa xampu, ainda que mais suave e de maneira espaçada, pode usar produtos contendo Amodimethicone, mas com parcimônia.

20 comentários:

  1. Nica, sua postagem está maravilhosa! ;)

    Quando comecei a pesquisar sobre os silicones para meu blog, vi esta informação sobre o Amodimeticone e depois de ler mais a respeito, vi que ele não é solúvel, conforme vc especificou.

    Ainda estou a procura de mais informações porque o assunto "silicones" é muito extenso e temos muito ainda a aprender sobre eles!

    Beijinhos linda! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim, sim... Esse assunto não se esgota nunca!
      Acho importante esclarecer sobre o amodimethicone pq muita gente pensa que ele é "liberado"... Independentemente das escolhas, é sempre bom saber exatamente o que a gente põe na cabeça...
      Bjos!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  2. Cada vez mais, quero usar menos produtos a base de petroleo em meu cabaleo. Depois, se eu ver que consigo viver sem petrollatum, retiro ele de vez de meus fios.
    Bom post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só a eliminação do óleo mineral e derivados já é uma passo enorme! Vc vai ver como faz diferença... Mesmo quem não abole silicones e sulfatos evita óleo mineral, p/ vc ver como ele realmente não é legal...

      Excluir
  3. Oi, Nica.

    Você já leu essa postagem? http://ronaldocachos.blogspot.com.br/2012/03/lowno-poo-revelacaoesatualizacao-da.html

    Ronaldo acredita que o Amodimethicone é solúvel sim. O que você acha da interpretação dele? Achei os argumentos bem fundamentados, mas ainda me restam dúvidas.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danielle, não tinha lido a postagem do Ronaldo até então. Meu post se baseou em informações que obtive de blogs gringos que acompanho (inclusive o site Naturally Curly que o Ronaldo citou na postagem dele).
      Mas pelo que li, ele compartilha da mesma opinião que eu: a partir do momento que é aplicado no cabelo, o amodimethicone é tão insolúvel quanto qualquer outro silicone.
      Bjos e obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Excelente postagem! Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Tu sabes se só "Hidrolyzed Wheat Protein" é silicone? Eu uso o Hair Conditioner and Grooming Aid fórmula 133 e não consegui identificar se tá ou não liberado.Obrigada.bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ellis, isso não é silicone, é uma proteína hidrolisada :)
      Bjos

      Excluir
  6. OLA EU GOSTARIA DE ENTENDER QUE O SILICONE E CONSIDERADO UM VILAO, POR QUE TEMOS QUE USAR UM SHAMPOO COM SAL TIRANDO ISSO ELE E BOM OU RUIM ME MANDE RESPOSTA : PRISCILACLAUDEL@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  7. Q postagem espetacular! Bravo Nica!!! Eu estou nesta fase de transição e fico confusa com tantos silicones...rsrsrs Eu aprendi muito e vou salvar esta postagem para ficar lendo e aprendendo mais
    http://srtabretasdevocional.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Nossa, que sacanagem... comprei um produto dizendo que era óleo de coco mas depois de ler esse post fiquei arrasada... já tinha desconfiado que é um monte de silicone com um susto de óleo de coco, mas... falta de informação, sabe como é... :(
    Adorei as infos, vou prestar mais atenção aos rótulos. Obrigada :)

    ResponderExcluir
  9. Boa noite Nica, já li várias vezes sobre silicones e só agora entendi, ótima explicação, parabéns. :*

    ResponderExcluir
  10. Caramba, adorei saber disso! estou louca pra iniciar uma dessas técnicas (Ou Low Poo, ou Co-wash), e lendo esse post, notei o porque do meu cabelo ficar tão pesado! os fios ficarem com esse aspecto de sujo! um é o excesso de produto, no entanto, eu só uso um único creme de pentear e óleo reparador, talvez eles contenham silicone e óleos minerais!
    O meu creme de pentear eu já dei uma olhada e vi que contém óleo mineral.

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pela excelente postagem!

    ResponderExcluir
  12. Cyclopentasiloxane sai com cocamidopropyl betaine?

    ResponderExcluir
  13. Ótimo texto, bem explicado o assunto, eu tinha muitas dúvidas.

    ResponderExcluir
  14. Oi, a matéria está ótima! Parabéns!

    ResponderExcluir